A Filha do Norte - Luisa Soresini

No Comments

Título: A Filha do Norte
Autora: Luisa Soresini
Editora: Novo Século
Páginas: 496
Ano: 2015
Onde comprar: Saraiva

Sinopse: O livro começa com a Elza, a Bruxa do Leste, refletindo sobre o mundo e sua própria história.  Para ela, o fluxo da vida entrou em um ciclo interminável, no qual os espíritos perderam um pouco da sua força e, ela, na sua esperança diante a humanidade. Com isso, sua irmã Meredith, a Bruxa do Sul, anuncia a chegada de um visitante estranho em Mafaldi, uma pequena cidade que fica entranhada no meio da floresta. Dessa maneira, temendo por problemas, as bruxas saem para averiguar e descobrem que o indivíduo misterioso trata-se de uma garota desolada. Então, por pena, elas a acolhem, sem o conhecimento da menina perante a identidade das bruxas.

   Em sua vida humilde, Elza percebe o quanto a menina, chamada Michelle, é simples, mas, ao mesmo tempo, refinada e inteligente, e logo toma apresso por ela, tal como uma filha. Contudo, em um determinado dia, Michelle sai com a Meredith, esta em sua forma de criança e aquela desaparece na floresta. Meredith e Elza começam uma busca interminável pela garota, mas seus maiores medos tornam-se realidade quando descobrem onde a menina foi parar: na mansão dos Vergaminis. Com medo do que poderia acontecer com ela, as bruxas iniciam uma missão para salvá-la, sabendo que pode ser tarde demais.

   Michelle, enquanto andava sozinha pela floresta, encontra uma mansão imponente e sombria, entretanto, a curiosidade e seu medo de ficar sozinha naquela situação a levam a buscar ajuda dentro da casa. O que ela não esperava era encontrar jovens e irmãos de idades contrastantes tão lindos e ricos vivendo em um lugar como aquele. Elegantes, refinados, gentis, todavia intimidadores. Algo parecia estar errado e ela torcia para que fosse apenas um equívoco em suas sensações. No meio da noite, no entanto, Michelle descobriu a verdadeira face daqueles jovens que estavam longe de serem os príncipes que ela sonhou. Forçada a viver com eles pelo resto de sua vida, Michelle, protagoniza novamente seus maiores medos e descobrirá, assim, a face mais sórdida dos Vergaminis.

"O relógio bateu sete horas. Uma batida intensa que me fez ficar toda arrepiada. Então todas as janelas se fecharam e as luzes piscaram. O tempo pareceu parar e o ambiente ficou pesado. Eu, na mesma hora, entendi.

Eles estavam chegando."

Análise

   A filha do norte é uma ficção curiosa. Confesso que a princípio achei a história um pouco parada, ainda mais sendo eu uma fã exímia dos mundos fantásticos e dos acontecimentos grandiosos, mas ao longo da leitura compreendi que a intenção da autora era justamente essa, nos dar doses" a conta gotas" da personalidade de cada personagem e comecei a nutrir sentimentos por eles, quando isso acontece é porque a história entra, de fato, na gente.

    Narrado em terceira pessoa sob a voz de todos os personagens, a essência deste livro está nas entrelinhas. A linguagem é simples e clara e os próprios personagens expõe seus sentimentos conflitantes a todo instante, mas é preciso um olhar despretensioso para enxergar a profundidade das lições escondidas na simplicidade da construção. Michelle é uma menina doce e de bom coração, mas está longe de ser frágil. Os Vergamini não são só o que expõem por fora, embora muitas de suas atitudes sejam compreensíveis, pois  não há como plantar amor em solo infértil. É preciso remexer, retirar a terra morta e colocar mais adubo, só então poder replantar.

     Ao longo do livro, encontrei doses de humor no terror, uma relação que não é fácil de ser construída e foi permeada de forma bem delicada pela autora. Muitos dos personagens me fizeram lembrar outros grandes personagens  da história, como Frankstein.  Em muitos momentos,  me transportei para a infância, quando minha programação favorita era "A Família Addams", há traços dos Addams em muitas das falas e atitudes. A história também tem um toque de "A Bela e a Fera", principalmente o encanto e a redenção.

    A estrutura é uma crescente. A história vai avançando conforme os acontecimentos vão ganhando peso e os personagens vão ganhando forma e deixa uma sensação de fazer o bem muito forte. Recria a ideia de família, de amizade e de auxílio ao próximo. Enfim, como disse a própria autora em sua carinhosa dedicatória para mim cuidado com as aparências, ouça seus instintos e, principalmente, todos merecem uma segunda chance.









Book Trailer






Espero que tenham gostado :)
Deixem comentários, opiniões, beijos e abraços rs 
Super Beijo.
Juliana Lima
Próximo Postagem mais recente Post AnteriorPostagem mais antiga
Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário